DeMolay e Magia Cerimonial - Parte 2



"Nada está parado, tudo se move, tudo vibra" - Princípio da Vibração.

Continuando com o estudo da Magia Cerimonial, nesse texto vamos nos aprofundar no ponto mais importante na pratica de um Ritual, a Intenção que está diretamente ligada ao princípio da vibração, um dos sete princípios herméticos.

O que muito constatamos dentro da Ordem DeMolay é o desconhecimento do Ritual por seus membros, chegando ao ponto de nem mesmo conhecerem o que significa ou de onde veio a palavra Ritual.

Um ritual é um conjunto de procedimentos com valores simbólicos, e a realização desses procedimentos através da Intenção é a principal chave para a funcionalidade do símbolo e da prática ritual. O Ritual é o que difere nossa Ordem de um clube. 

RITUAL E REPETIÇÃO

Como vimos no texto anterior, o verbo e a postura corporal são duas maneiras de expressar diferentes símbolos, e como exemplo falamos sobre o ajoelhar e abaixar da cabeça em simbolo de humildade e reverência numa oração. Mas será que esses gestõs possuem realmente algum tipo de eficácia?

A resposta é sim e não. "Sim" quando você manifesta a intenção de ser humilde, reverente e realiza sua oração de maneira sincera. "Não" quando segue-se um protocolo e está pensando em qualquer outra coisa, soltando palavras ao vento, realizando uma ação por falta de opção, em que a atenção está totalmente dispersa.

Para o "sim" temos a Magia, onde o DeMolay já trabalha durante toda a semana para organizar a reunião, aprende a fala do seu cargo e seu significado, e não está com a cabeça ocupada de futebol, provas ou outras distrações durante a reunião.  Para o "não" temos falas e movimentos com fórmulas vazias, em que o verbo é dito e o movimento é feito, mas sem nenhuma intenção.

INTENÇÃO E VIBRAÇÃO

A Intenção precede (ou deveria) qualquer tipo de prática e trabalho, seja este espiritual ou não. Uma pessoa sem intenções é uma pessoa sem rumo e sem destino, que vai junto com a multidão, se torna uma pessoa sem vontade própria. A Intenção é um presente dado a nós por Deus para guiarmos nosso livre arbítrio, criando nosso próprio destino e nosso próprio Universo.

Em práticas espirituais, como a ritualística DeMolay, o passo fundamental é ter a intenção daquilo que se pretende. Somente através desse estímulo que somos capazes de acessar e absorver as energias que envolvem o Ritual.

Vimos a Lei Hermética da Correspondência no texto Esoterismo da Ordem DeMolay, cujo aprendizado serve para o conhecimento simbólico da Ordem. Mas a Intenção e a Magia Cerimonial que estamos estudando, lida com a Lei da Vibração. Não vamos nos limitar simplesmente a conceitos e analogias simbólicas, queremos trazer um conceito prático, para que vejamos nossas mudanças a cada reunião e estudo.

A Lei da Vibração explica que tudo que existe vibra, nada está parado, tudo está em movimento, desde uma pedra, a uma molécula de oxigênio e a um pensamento. Os quatro elementos (terra, água, ar e fogo) dos antigos referem-se a níveis, ou frequências, de vibrações diferentes. O elemento terra é tudo aquilo que está a nível material, que pode ser comprovado pelos sentidos físicos ou pela ciência. Já a vibração dos outros elementos são sutis e são particulares, que não podemos ver, mas podemos constatar, que são as vibrações de nível emocional, racional e espiritual. Aprofundaremos nestes conceitos mais adiante, por enquanto basta uma pequena definição.

Dessa maneira vibração é sinônimo de energia. A Física Quântica, que vêm desvendando o Universo existente dentro de cada átomo (confirmando o princípio da correspondência), desvendou também que tudo que existe é energia em níveis de vibrações diferentes.

Mas o que isso tem a ver com a intenção e ritualística? Ora, seus pensamentos, emoções, desejos, vontades e intenções são vibrações emitidas por você. Tal como acontece quando estamos aflitos e uma sensação densa rodeia nosso estômago e garganta, ou quando estamos em oração ou em numa Ritualística e presenciamos elevados níveis de conforto e bem estar. Podemos não ver essas energias, mas podemos senti-las, e se você sente é porque existe essa energia vibrando nessa frequência agradável ou desagradável.

Nós temos a opção e o livre arbítrio de escolher a quê conectamos nossas intenções, se são a energias (ou vibrações) positivas ou negativas. As intenções que ligam às negativas, seja por egoísmo ou inexperiência com a vida, acabam no ditado "o inferno está cheio de boas intenções". A conexão com as energias positivas nos guiam em direção ao conhecimento de nós mesmos e ao bem estar, aos véus da existência.

Na tradição cabalista existe um termo chamado KAVANA, que se traduz por "intenção" ou, como é melhor utilizado, por "boa intenção" e, na tradição cabalista, precede toda e qualquer prática espiritual. KAVANA tem origem da palavra KAVAN, cujo significado é "direcionar", "mirar" e "sintonizar". Dessa maneira podemos verificar que KAVANA, é direcionar, ou sintonizar, a intenção com o que é bom. É o principal ato de Magia e único meio de transmutar interiormente as vibrações negativas em positivas.

As Virtudes da Ordem DeMolays nos ensinam a nos conectar com vibrações elevadas, a transmutar nossas vidas através de uma mudança psicológica e espiritual, de uma magia mental. Mas essa conexão depende unicamente da intenção do DeMolay e em estar conectado e disposto a realizar tal ato. Da mesma maneira, a prática do Ritual é muito mais eficiente se os DeMolays estão em sintonia com o que ocorrerá, acessam os símbolos, a egrégora e realizam as determinações do ritual de maneira eficiente.

Mesmo não acreditando ou compreendendo a Magia, devemos perceber que a Intenção e disposição mental é o ato que devemos ter nas reuniões para praticar nossos Rituais. Podemos não ter conhecimento da história DeMolay, podemos não saber nada sobre magia, mas se temos a Intenção de praticar o Ritual da maneira de maneira sincera e de nos sintonizar com o DeMolay, atingimos o efeito máximo do propósito da Ordem. É tudo uma questão de vontade e intenção de ser e praticar o DeMolay.

Portanto não pratiquemos repetições, pratiquemos o Ritual. Deixando de lado toda preocupação e assuntos profanos onde estes devem estar: no mundo profano. Estudem, decorem e principalmente saibam o que as falas dizem, sintonizando-se com elas. Lembrem-se que a Intenção vem da mente e você cria seu Universo com sua Vontade.

"Quando uma criatura humana desperta para um grande sonho e sobre ele lança toda a força de sua alma, todo o universo conspira a seu favor", como nos lembra Tio Johann Goethe.

Semana que vem estudaremos a importância da Liberdade Religiosa e de Pensamento na interpretação de um símbolo, para então aprofundarmos nos símbolos dos nossos Rituais.

Comentar com Facebook


5 comentários:

  1. Parabéns pelo texto e pelo projeto! Sem sombras de dúvida que nós, DeMolays, ao termos consciência de nossos rituais, levaremos mais a sério e com mais vigor nossas reuniões! Abraço"

    ResponderExcluir
  2. Um belíssimo texto sem duvida. Parabéns e continue com seu maravilhoso trabalho.

    ResponderExcluir
  3. Mais um texto maravilhoso! A proposta é fantástica. Tudo que eu desejo é sorte com o projeto e que o sucesso que com certeza virá não lhe suba a cabeça transformando uma fonte de luz em um alimento para seu ego, como acontece com alguns. Toda a felicidade do mundo para você! UGA"

    ResponderExcluir
  4. Sou DeMolay. E queria tirar uma dúvida sobre a questão de energia.
    Toda vez que acabam as reuniões ritualísticas saio da sala capitular com um grande cansaço (que não é físico), sinto-me como se tivesse trabalhado muito!
    Gostaria de saber se há uma explicação para isso?
    Abraço fraterno em DM!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Meu Irmão, provavelmente você é muito atento e preocupado, não?! rs

      O mesmo ocorria comigo com frequência quando estou a frente de algum projeto ou em uma reunião complexa com diversas pessoas. Hoje estou melhor pois o cérebro também é um músculo e com seu treinamento de "hipertrofia" e "resistência", menos ele cansa.

      Excluir

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...